Roberta B. | 02/09/2015

Sempre sonhei em fazer a rinoplastia, pois nunca gostei do meu nariz. E esse sonho sempre foi adiado. Até meu namorado ter aula com a Dra. Michelle, ele me indicou ela pois ela faz uma cirurgia estética funcional. Já que a vida inteira tive rinite e sinusite, ele viu a possibilidade de isso diminuir.
Marquei no final do ano passado a primeira consulta, fiquei mais de uma hora conversando com ela. Amei! Me explicou como tudo funciona e decidiu junto comigo e minha mãe a melhor época para eu fazer a cirurgia.
Após ela avaliar meu exames, eu não precisava apenas da rinoplastia estética. Precisava também arrumar o meu desvio de septo e fazer redução de cornetos, o que me impedia de respirar direito.
Após a cirurgia, que foi em janeiro eu descobri que eu não sabia que eu podia respirar tão bem! Foi excelente tanto estética como funcional, melhorou minha qualidade de vida, eu não tive mais rinite nem sinusite. Hoje já faz 8 meses da cirurgia e tudo ocorreu perfeitamente.
Os primeiros 3 dias do pós operatório são bem chatinhos, mas vale a pena! O rosto incha muito e fica roxo. Mas em uma semana tudo isso já diminuiu bastante. É só seguir as recomendações da Dra. Michelle que tudo vai ocorrer bem!
Esteticamente, ela fez exatamente como eu queria. Ter o nariz perfeito! Eu queria um nariz que as pessoas olhassem e não se dessem conta que eu havia feito ou notasse que havia algo diferente mas não conseguissem identificar o que era. E é exatamente o tipo de trabalho que ela gosta, o mais natural possível. Perfeito!
Eu super recomendo ela para fazer a cirurgia!

 

Eduarda P. | 03/09/2015

Desde os meus 12 anos meu nariz me incomodava bastante. Até então eu não me importava, porém, o bullying começou e, junto com ele, a insegurança. Passei a ter vergonha, especialmente, do meu perfil. Evitava, ao máximo, ficar de lado em fotos, não prendia o cabelo nunca, tudo isso em função do nariz. Fazer rinoplastia sempre foi um sonho, vivia tirando fotos de perfil e imaginando como meu nariz ficaria sem o “ossinho”. Entretanto, não era apenas uma questão de estética. Eu tinha um grande desvio de septo, o que fazia eu ficar constantemente com o nariz obstruido. No inverno do ano passado, em uma das várias consultas ao otorrinolaringologista devido a minha rinite alérgica, esse indicou-me a Dra. Michelle Lavinsky. Dias depois, marquei uma consulta com ela. A Dra. Michelle me passou muita confiança e logo decidi que ela seria a profissional que faria a minha cirurgia. Nossas ideias convergiram! Na época da minha primeira consulta eu tinha 15 anos. No início deste ano, voltei a vê-la, e agendamos a data da minha rinoplastia. Minha escolha foi fazê-la na própria clínica, a qual não poderia ter sido melhor. Senti-me muito bem acolhida e segura, fui muito bem tratada durante o período pós-cirúrgico, e ocorreu tudo certo. Fiquei muito feliz com o resultado, o meu perfil ficou exatamente do jeito que eu queria, e os problemas respiratórios diminuíram consideravelmente. 

 

 

 

João Marcelo F . | 06/08/2015

Tenho quase 18 anos e, na maioria desse tempo, não respirei da maneira correta pela qual o nosso corpo se molda conforme alcançamos a maturidade. A respiração viabilizada pela boca vinha sendo minha única opção, e as paredes internas mais profundas da região esquerda do meu nariz não conheciam algo chamado “ar”, em função do desvio de septo pelo qual se obstruíam.

A rinite era tão previsível quanto as fases da lua: embalagens com lenços da Softy’s, Klenex ou Panvel eram encontradas nas mochilas, nas gavetas, nos bolsos dos casacos; o lixo do quarto enchia em questão de minutos, durante as crises mais agudas; os comprimidos de Decongex e Allegra D tornaram-se importantes como comida; tufos de papel higiênico eram dobrados calculadamente para que fossem introduzidos em minhas narinas e impedissem a coriza de continuar escorrendo, quando era necessário que eu dispusesse as mãos livres, em prol de alguma atividade qualquer.

Isso já representava uma manifestação rotineira, principalmente, na época mais fria do ano. Sei que a operação não significa uma despedida completa dessa realidade, mas acredito que, agora, eu passe a sofrer de rinite com a frequência que uma pessoa normal sofre.

Optando pela correção de septo e rinoplastia, afirmo que o procedimento cirúrgico é rápido e o pós-operatório é indolor. O cuidado com movimentos bruscos é recomendado para evitar choques contra a face, e a paciência é essencial em torno da primeira semana, quando são necessárias sessões de bolsas de gelo nas regiões malar e orbitária devido ao inchaço, e trocas das gazes no espaço compreendido entre o lábio superior e o nariz, onde absorvem os fluidos expulsos pelas narinas.

Os pontos coçam, de vez em quando. Coçam bastante.

A experiência que tive na Clínica Lavinsky foi positiva do início ao fim, e só tenho a agradecer ao pessoal que esteve presente durante a operação e o pós-operatório, agindo com comprometimento. Em especial, agradeço à doutora Michelle, que soube interpretar e esclarecer nossos anseios durante as primeiras consultas, encaminhando um projeto definido e adequado até a operação.

Respirar pelo nariz involuntariamente é muito interessante, e cada vez que me pego fazendo isso, valorizo a escolha que fiz.

 

Renata de O. | 25/06/2015

Fazer uma plástica vinha sendo uma vontade minha desde meus 45 anos, hoje tenho 52. Tive várias indicações de profissionais e nunca busquei por nenhum, sempre adiando o procedimento. Conheci a Dra Michelle através de meu marido que já tinha realizado uma Septoplastia concomitante com uma Rinoplastia com ela, após a cirurgia dele que foi realizada na clínica fomos para casa e ao anoitecer ela Dra Michelle ligou para saber notícias dele, esta atitude me deu a tranquilidade que precisava para anos mais tarde buscar a mesma profissional para realizar uma Septoplastia concomitante com uma Blefaroplastia. Marquei e realizei a cirurgia, pois senti na Dra Michelle nas consultas a segurança, capacidade e tranquilidade que buscava. O resultado esta sendo o esperado. Estou no 16 dia após a cirurgia.

 

Vanessa F. | 19/05/2015

Respirar é algo tão automático, que nem nos damos conta da importância. É fato que qualquer pessoa reclama quando está de nariz entupido durante uma gripe, que é desconfortante e até sufocante, mas agora pense em estar diariamente vivendo esta situação? Em dormir todas as noites respirando pela boca e acordando com dor de garganta devido a má respiração.
Comigo acontecia exatamente assim. Depois de diversos tratamentos com medicamentos e tantos otorrinolaringologistas, eis que me foi apresentada a opção da rinoplastia. Tive medo, pois não queria mudar a estética do rosto, mas o nariz alto e extremamente fino impossibilitava que eu tivesse uma respiração, pelo menos, normal.
A Dra. Michele Lavinsky, foi extremamente atenciosa com minhas preocupações, principalmente quanto às mudanças estéticas que iriam acontecer. Tamanha foi a confiança, que acabei fazendo a rinoplastia junto com uma otoplastia.
Minha surpresa já apareceu logo depois do procedimento operatório, assim que acordei da anestesia, quando por curiosidade respirei pelo nariz para “testar” o resultado. Naquele momento e pela primeira vez nos meus 28 anos de vida, pude dizer que respirei de verdade.
Passados 30 dias da cirurgia, minha respiração é completamente diferente da que tive a vida toda. Não tenho mais as dores na garganta de manhã, pois agora, inacreditavelmente, acordo com a boca fechada e respirando tão somente pelo nariz. É sensacional.
É muito emocionante poder ver e sentir o resultado tão positivo da rinoplastia. Além da parte funcional, tem a questão estética, que ficou tão perfeita como eu não poderia imaginar que ficaria.
Muito obrigada, Dra. Michele, pela atenção, competência, seriedade, me deixar com um nariz mais bonito e, acima de tudo, por me fazer respirar.